sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Oscar Wilde, in 'De Profundis


Oscar Wilde, in 'De Profundis

"Quem poderá calcular a órbita da sua própria alma?

As pessoas cujo desejo é unicamente a autorrealização, nunca sabem para onde se dirigem. Não podem saber.
Numa das acepções da palavra, é obviamente necessário, como o oráculo grego afirmava, conhecermo-nos a nós próprios. É a primeira realização do conhecimento.


Mas reconhecer que a alma de um homem é incognoscível é a maior proeza da sabedoria. O derradeiro mistério somos nós próprios.

Depois de termos pesado o sol e medido os passos da lua e delineado minuciosamente os sete céus, estrela a estrela, restamos ainda nós próprios.

Quem poderá calcular a órbita da sua própria alma?





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço pelo seu comentário!